Febre amarela e medicina de emergência: o papel do médico em uma possível epidemia

Apesar de a Covid-19 ser a grande e principal preocupação no momento, é preciso atenção a outras doenças. A febre amarela, por exemplo, sobretudo por ter alguns sinais e sintomas semelhantes. 

Por isso, a qualificação e a capacidade de ação do médico são decisivas em situações de emergência em que o paciente possa ter um quadro agravado por doenças virais, como a febre amarela, dengue e ebola.

Vamos explorar um pouco mais este tema, continue a leitura!

Por que a febre amarela é tratada pela Medicina de Emergência?

A febre amarela não é, necessariamente, um caso que seja tratado somente pela Medicina de Emergência. Acontece que os serviços de emergência se tornam o principal — e muitas vezes o primeiro — contato das pessoas doentes com o sistema de saúde. 

Dessa forma, a Medicina de Emergência figura como essencial na carreira dos profissionais médicos. O diagnóstico correto é fundamental para salvar a vida do paciente, considerando, principalmente, que muitos só buscam ajuda especializada quando já estão com um quadro clínico avançado. 

Além disso, sempre há o risco de epidemia. Com o foco todo na Covid, as preocupações com as demais doenças podem ficar em segundo plano, o que é um erro. Por isso, além do papel do médico e demais profissionais da saúde, é papel de todos a conscientização sobre a vacinação. 

No início do artigo falamos sobre os sintomas serem parecidos com alguns da Covid. Pacientes podem apresentar dor de cabeça, febre alta, náusea, fraqueza e dores no corpo. Além desses, e o que pode ser decisivo para o diagnóstico é icterícia (também chamada de amarelão).

A vacina no Brasil

A vacina da febre amarela é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. A primeira dose pode ser tomada a partir dos 9 meses de idade. 

O efeito da vacina começa a partir de 10 dias após a vacinação. Uma só dose já imuniza totalmente contra a doença.

É importante que a população seja vacinada, assim são evitados surtos da doença e até mesmo possíveis epidemias. 

A especialização em Medicina de Emergência 

Dizer que os profissionais da saúde precisam estar bem preparados é dizer o óbvio. No entanto, algumas especializações são essenciais para proporcionar conhecimentos sobre a atenção especial a situações como as dos serviços de emergência. 

Por isso, uma pós-graduação em Medicina de Emergência pode ser a especialização ideal para preparar médicos a atuarem na linha de frente de surtos, epidemias, pandemias, dentre várias outras situações. 

Quer saber onde fazer?  Na EME Doctors!

Essa pós aborda temas como: 

  • PCR
  • Hemodinâmica
  • Ventilação
  • Neurointensivismo
  • Sepse
  • Emergências Clínicas
  • Trauma
  • Emergências Cirúrgicas
  • Nefrologia
  • Ultra – som e Transporte

O conteúdo do curso é em EAD. As aulas são ministradas por especialistas de renome, com aulas práticas e vivência em sala de emergência. 

O curso é reconhecido e tem nota máxima no MEC, e é chancelado pela UNIAVAN.

A hora de fazer sua pós-graduação é agora! 

Dúvidas, comentários ou informações? Fale conosco!