Raciocínio Lógico

Por Dr. Gustavo Deboni – CRM/SC 12713

Cada vez é mais comum erros relacionados aos diagnósticos, fazendo com que se tornem potencialmente graves, uma vez que são, em sua maioria, preveníveis. Segundo dados americanos, calcula-se que entre 10 e 15% dos diagnósticos estejam errados.

Talvez a primeira iniciativa para isto seja a máxima de ouvir bem o seu paciente. Já dizia o Sir William Osler: “Ele vai contar o diagnóstico para você.” Seguem algumas dicas importantes para evitarmos os erros mais comuns:

1- FORMULE DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS!
A causa mais comum para deixar passar uma diagnóstico é não ter pensado nele.
Crie o hábito de levantar pelo menos 3 hipóteses diagnósticas para todos os casos, mesmo aqueles simples. Isso dificulta você ser surpreendido pelo inesperado.


2 – RESERVE UM TEMPO PARA REFLETIR!
Nem sempre teremos tempo para pensar tendo já outro paciente para atender em um pronto socorro. Devemos sempre ter o “diagnostic time out”, ou seja, um tempo que pode tornar sua investigação mais objetiva e eficiente, repensando alguma lição ou lembrando de algo que tínhamos esquecido.


3 – SEJA HUMILDE E OUÇA UMA SEGUNDA OPINIÃO SEMPRE QUE POSSÍVEL!
Um colega médico que vê seu paciente pela primeira vez pode ter uma impressão fechada na cabeça, dificultando formulações de diagnósticos impensados. É muito comum durante uma troca de plantão, que o colega que o assume, formule uma hipótese que não havia sido cogitada. A humildade no compartilhamento de informações é importantíssima para o engrandecimento profissional.


4 – CHEQUE OS EXAMES QUE VOCÊ PEDIU!
Garanta que todos os exames complementares que você solicitou foram feitos e interprete os seus resultados. É mais comum do que imaginamos que o médico acaba não observando o resultado de determinado exame, que era fundamental para o diagnóstico. Num tempo onde os exames complementares se tornaram “padrão ouro”, a visualização de imagens e não só do laudo são muito importantes. Sempre podemos nos surpreender com alguns resultados que nos levarão ao diagnóstico correto.


5 – SEJA INFORMADO QUANDO ERRAR ALGUM DIAGNÓSTICO!
O feedback é uma etapa fundamental para a aprendizagem e para o contínuo aperfeiçoamento da sua profissão. Ajude a criar e manter essa cultura, falando abertamente sobre os erros, sem apontar culpados ou iniciar uma “caça às bruxas”. Precisamos aprender com os erros e assim evitarmos o mesmo problema futuramente.