Setembro Vermelho: prevenção para reduzir a maior causa de mortes no Brasil

Há alguns anos, os meses passaram a ter cor. E por razões mais do que especiais. O agosto virou lilás, um alerta para as mulheres sobre a violência doméstica. O outubro é rosa como forma de chamar a atenção sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama e de útero. O novembro tornou-se azul para lembrar os homens sobre as doenças masculinas, principalmente, o câncer de próstata. E o setembro é ainda mais colorido. Ficou Amarelo para combater os suicídios, e Vermelho, visando a conscientização sobre os cuidados com o coração.

A campanha, ainda recente no Brasil, ocorre neste mês devido à comemoração pelo Dia Mundial do Coração, no dia 29 de setembro. A partir disso, instituições e profissionais de saúde alertam sobre os cuidados com a saúde do coração e orientam a adoção de hábitos mais saudáveis.

O Setembro Vermelho chama a atenção sobre os recorrentes problemas relacionados a doenças cardiovasculares. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), meio bilhão de pessoas no mundo e 14 milhões no Brasil sofrem com estes problemas. E muitas não conseguem superar a doença.

Um brasileiro morre a cada 90 segundos devido a doenças cardíacas. Em média, são 380 mil vítimas fatais por ano, o equivalente a 30% de todas as mortes no país, constituindo-se na maior causa de óbitos. Até 19 de agosto de 2020, de acordo com o Cardiômetro da SBC, mais de 286 mil pessoas perderam a vida no Brasil devido a complicações cardiovasculares.

Com relação à mortalidade, aproximadamente 80% estão relacionados a doença coronariana isquêmica, mais conhecida como infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC), hipertensão arterial e insuficiência cardíaca. Além destes, outros problemas relacionados ao coração são menos letais, mas também exigem tratamentos como arritmias, angina, doença vascular periférica, miocardite, entre outros.

Todas essas doenças podem ser evitadas com prevenção. E isso começa com maiores informações sobre os principais fatores de risco e escolhas mais saudáveis no dia a dia. Fatores como tabagismo, consumo de álcool, excesso de sal, obesidade e sobrepeso, sedentarismo, estresse, diabetes, colesterol elevado e pressão alta estão entre os que mais desencadeiam complicações no coração. A idade também pode ser agravante, com maior ameaça para homens com mais de 45 anos de idade e mulheres acima de 55 anos.

Cuidados com o coração

Evitar que o coração sofra é possível. Mudar hábitos como a alimentação é o primeiro passo. Regular o peso, com uma dieta balanceada rica em proteínas, fibras, pobre em carboidratos e gorduras, recomendada por um profissional competente nutricionista é uma das primeiras mudanças para cuidar da saúde como um todo.

O consumo de sal também não pode ter exageros. A ingestão de bebidas alcoólicas deve ser feita com moderação. Já o tabaco e outras drogas devem ser totalmente evitadas pelos diversos malefícios que causam ao bem-estar.
A atividade física também faz bem ao coração. Caminhadas, corridas, atividades ao ar livre e nas academias, e até passeios com os animais de estimação contribuem para movimentar o corpo, eliminando o sedentarismo e os problemas decorrentes dele. Os benefícios de práticas físicas regulares são objeto de diversos estudos científicos em todo o mundo.

Os diabéticos e hipertensos devem seguir os tratamentos orientados pelos médicos. Procurar realizar exames com frequência também é necessário para prevenir doenças ou para o diagnóstico e tratamento precoces, fundamentais para salvar vidas.

Prevenção

Outras ações, como o cumprimento adequado das leis brasileiras, também poderiam ser decisivas para dar um novo compasso nesta luta. Em algumas cidades, como Florianópolis (SC) e São Paulo (SP), é obrigatório a manutenção de aparelho DEA’s, o famoso desfibrilador externo automático. A medida é válida para locais com concentração/circulação média diária de 500 ou mais pessoas na capital catarinense, e de 1.500 pessoas ou mais na cidade paulista.

Apesar da obrigatoriedade, a maioria dos locais não disponibiliza o equipamento. Em Balneário Camboriú, o Centro Universitário Avantis – UniAvan não precisou de lei específica no município para aumentar a segurança de todos os estudantes e profissionais. Desde 2019, a instituição de ensino disponibiliza o equipamento em seu campus, e é fundamental no atendimento de uma PCR (Parada Cardiorrespiratória).

Ainda em Balneário Camboriú, a Exponential Medical Education (EME) oferece diversos cursos voltados a profissionais da saúde e à sociedade em geral. Único centro de treinamento autorizado da AHA – American Heart Association em Santa Catarina, disponibiliza treinamentos realizados por meio de simulações realísticas para os cursos de Suporte Básico de Vida (BLS ) e Suporte Avançado de Vida em Cardiologia (ACLS), ambos dedicados à profissionais de saúde.

Outra capacitação que a EME Doctors promove é o Salva Corações – Primeiros Socorros destinado à população e que abrange, entre outros, emergência de primeiros socorros, simulação de atendimento à parada cardíaca e como estancar sangramentos em ferimentos domésticos.

Os professores e profissionais que atuam em instituições de ensino também podem ser capacitados para atuar como socorristas. Não apenas importante para resguardar a vida de milhares de estudantes, a qualificação é determinada pela Lei Lucas (nº 13.722/2018), aprovada após a morte do estudante Lucas Begalli Zamora, de 10 anos, vítima de um engasgo com um lanche, em setembro de 2017.

A norma obriga os professores e funcionários de escolas, públicas e privadas, de educação infantil e básica, a fazerem curso de capacitação em noções básicas de primeiros socorros. Os profissionais capacitados pela EME recebem Certificado Internacional com validade no Brasil e no exterior, ou seja, é possível estar preparado para ser o socorro de alguém em qualquer parte do mundo e a qualquer instante.

O Setembro é Vermelho. O outubro pode até mudar de cor. Mas o coração vai continuar a alertar que, independente do mês, requer prevenção e cuidados regulares que podem começar agora, enquanto há tempo. Ouça as batidas, elas são anúncios de como é preciso estar preparado a cada minuto.