Tecnologia de simulação realística é diferencial para treinamento de Basic Life Support (BLS)

Pesquisa Japonesa revela que treinar RCP em bonecos de anatomia realista que dão feedback em tempo real permite aperfeiçoamento até duas vezes melhor

As tecnologias de simulação realística estão moldando a educação na área da Saúde. Mesmo técnicas aparentemente simples, como a Reanimação Cardiopulmonar (RCP), podem ser executadas de maneira muito mais assertiva por profissionais que praticaram em bonecos de anatomia realista com feedback em tempo real transmitido via bluetooth para dispositivos móveis. Como consequência disso, pesquisas registram melhores resultados no atendimento de Basic Life Support (BLS), ou Suporte Básico à Vida (SBV), para quem tem acesso à esse tipo de tecnologia na sua formação.

Em 2005, na revista científica Resuscitation Journal (UE) apontou que em 46% de todos os casos – e em 23,4% dos envolvendo pacientes pediátricos – os profissionais da Saúde realizavam recuo de compressão incompleto durante um RCP. De lá para cá a tecnologia de treinamento evoluiu muito e, na metade de 2019, um instituto de pesquisa japonês – em parceria com a American Heart Association (AHA) – testou 600 pessoas para descobrir qual a melhor maneira de treiná-los para fazer QCPR (High-Quality Cardiopulmonary Resuscitation), ou Reanimação Cardiopulmonar de Alta Performance.

Todos já tinham passado por treinamentos em RCP ao longo de sua vida. Foi proposto ao grupo um novo treino, sendo que metade das pessoas praticou em bonecos comuns e a outra metade usou bonecos Little Anne QCPR – tecnologia empregada nos cursos da EME Doctors.

Com tecnologia mais avançada, o aprendizado é melhor

A pesquisa revelou que o feedback em tempo real, fornecido pelos bonecos Little Anne QCPR, ajudou os treinandos a performar com muito mais precisão e eficiência, principalmente a profundidade de compressão correta para cada vítima. Eles melhoraram a qualidade de sua performance em 39%, ao passo em que quem treinou em bonecos comuns, aperfeiçoou apenas em 20% as suas técnicas após o novo treinamento.

O médico emergencista e cirurgião-geral, Dr.Gustavo Deboni, diretor executivo da EME Doctors, avalia que o uso da metodologia de simulação realística vem sendo ofertado em diversos cenários de aprendizado e é um diferencial na formação dos profissionais que desejam salvar mais vidas e, ainda, se manter atualizados num mercado dinâmico e competitivo.

“É por isso que o curso de Basic Life Support do centro de treinamento Exponential Medical Education (EME Doctors), voltado para profissionais da Saúde, combina o uso do Little Anne QCPR com práticas com Desfibrilador Externo Automático (DEA/DAE), fornecendo o que há de mais atual e eficiente em treinamento em Saúde para seus alunos”, explica Dr. Deboni.

Pratique em fevereiro no Curso de BLS

Ministrado de maneira intensiva, com duração de 5h, o Curso de BLS da EME Doctors – que ensina a lidar com emergências cardíacas e respiratórias de acordo com o protocolo da AHA – está com vagas abertas para aulas nos dias 15 e 16 de fevereiro (sábado e domingo). É exclusivo para profissionais da Saúde e certificado pela EME Doctors com reconhecimento da AHA (American Heart Association). As aulas acontecem no Centro AHA/SC,localizado no interior da Uniavan, em Balneário Camboriú.

Além de praticar a avaliação da vítima e suporte básico de vida (emergências cardíacas, respiratórias e desobstrução das vias aéreas), quem participa do curso também aprende a analisar e atender situações específicas para adultos, crianças e lactentes. Ao todo, serão disponibilizadas quatro turmas em fevereiro: duas no sábado (15/02), das 8h às 13h e das 14h às 19h; e duas no domingo (16/02), nos mesmos horários.

Clique aqui para se inscrever ou conferir informações adicionais sobre o curso de BLS (http://emedoctors.rds.land/curso-de-bls-2020).